Como escolher os cortinados para a sala de estar

É de conhecimento popular que as cortinas são capazes de fazer uma sala de estar, mas apenas quando escolhidas de forma correta. Quando se trata da peça certa para cobrir as janelas, as questões envolvem cor, tecido, estampado, acabamento, comprimento e forro.
Com tantas possibilidades no mercado, é fácil sentir-se oprimido na hora de escolher a cortina que vai completar a sua sala. No entanto, esta tarefa não é impossível de ser realizada!
O primeiro grande passo antes de escolher a sua cortina é saber o que pretende ter como conceito do ambiente: aconchegante, moderno, clássico ou minimalista. As cortinas dão até a sensação de amplitude, mas é preciso saber escolher uma que ofereça isso no seu espaço. A escolha do tecido depende do conceito que o seu ambiente vai ter.
Se quer um espaço aconchegante, indica-se tecidos com fibras naturais, que podem dar um volume médio e podem trazer conforto. As cortinas de seda podem conferir modernidade, enquanto a persiana pode oferecer um efeito mais básico, além de ser mais prática na hora de limpar.
As cores mais neutras são normalmente as mais indicadas por não marcarem tanto o ambiente. No entanto, se a intenção é ter um ambiente extravagante, pode-se optar por cortinas em cores mais fortes ou estampadas.
Fique a conhecer as nossas dicas para acertar na cortina certa para sua casa!

 

  •  Como combinar a cortina na sala de estar

Por ser um elemento decorativo com grande impacto visual na sala de estar, a cortina deve ser muito bem planeada para combinar com outras peças do ambiente, sem necessariamente roubar a cena.
Entre as principais dicas, está combiná-la com a cor das almofadas e do tapete, criando uma sincronia interessante e criativa no espaço. Além disso, a combinação com o sofá também pode ser interessante. O cuidado, nesse caso, é evitar a monotonia visual com muitos elementos de destaque na mesma cor, mas isso pode ser resolvido com almofadas estampadas e iluminação direcionada.
O mais importante é evitar que a cortina destoe do restante da sala, como, por exemplo, uma cortina estampada com tema tropical numa sala de estar com decoração minimalista. O ideal é manter sempre o equilíbrio e a harmonia visual!

 

  • Material

O tecido é uma parte essencial no processo da escolha da cortina perfeita, já que o material irá indicar quanto tempo a sua cortina vai ser funcional e o quanto ela vai durar.
Se elas são muito pesadas, não podem ser dobradas de maneiras interessantes. Se elas são muito leves, podem não funcionar muito bem em janelas grandes e que ficam abertas regularmente.
É muito importante avaliar a quantidade de vento que passa pela janela e o quão resistente a sua cortina precisa de ser para suportar isso. Alguns dos materiais disponíveis podem ser leves e bonitos, porém em alguns casos podem não ser muito funcionais na hora da manutenção da peça.

 

  • Tamanho

Normalmente, uma cortina deve ir do teto até o chão da residência. Se tiver bom gosto e não cometer exageros nas cores, escolher a sua cortina não vai ser um grande problema.
Cortinas de duas camadas podem seguir tamanhos médios e proporcionam um visual rústico na casa. As cortinas com uma segunda camada em seda ou veludo com gaze podem ser encorpadas e oferecem charme para a decoração da sua sala de estar.
O trilho da cortina não precisa necessariamente ficar escondido. Ele pode ficar exposto, no caso do varão ou pode ficar por trás de um forro. Uma das dicas para ter sucesso e charme, é ter uma cortina longa que encosta no chão.
Para não acumular poeira na peça, pode-se subir cerca de 1cm. As cortinas curtas quebram a elegância do espaço e normalmente não funcionam bem.

 

  • Alinhamento

Antes de utilizar a fita métrica, decida o quão alto acima da janela gostaria de começar as suas cortinas. Tenha em mente de que se o varão ficar suspenso acima da janela pode-se ter uma sensação de amplitude.
Para um ambiente mais tradicional, a cortina pode ficar um pouco amassada no chão. Para isso, deve-se adicionar mais 2 ou 3 cm ao seu comprimento. Para um visual moderno ou fresco, recomenda-se usar a cortina nivelada com o chão.

 

  • Persiana

Além das cortinas tradicionais, pode-se escolher as persianas. No entanto, essa escolha depende do seu ambiente e da harmonia com os outros móveis.
A persiana acaba por ser uma boa opção para ambientes compactos, pois não ocupam muito espaço. São peças fáceis de limpar e de manter. O mercado conta com persianas em diferentes materiais e cores, basta ver o que combina melhor na decoração da sua casa.

 

  • Ambiente

As salas de estar que tenham modelos de decoração mais escuros e com matizes sóbrias podem receber cortinas claras ou peças que tenham uma aparência mais suave. Para esses espaços, as cortinas podem ser confecionadas em materiais delicados, mais leves e com mais transparência.
Estes tipos de peças podem até ajudar a deixar a divisão com um ar mais claro. Já nos locais que tenham uma decoração mais viva, a variedade de escolha das cortinas neutras pode ser ainda maior!
Um ambiente decorado com uma paleta cromática clara é sempre agradável e funciona bem com qualquer tecido. Em ambientes que possuem TV ou home theater, é recomendado utilizar um blackout de PVC, pois oferece um ótimo isolamento de luz.

 

  • Cor

Cores, composição e texturas pedem atenção na hora de eleger a cortina adequada para a sala de estar.
As cores mais neutras têm efeitos atemporais, pois podem funcionar bem nos mais variados estilos de decoração e não ficam cansativas quando misturadas com tons mais marcantes. As texturas e cores vivas são opções mais ousadas e podem trazer um charme único no espaço em questão. Não há uma regra absoluta quanto às cores, mas é muito importante levar em conta a harmonia dos elementos que compõem o local.
Caso queira adicionar uma cortina colorida, avalie quais as cores mais marcantes na decoração e tente escolher uma cortina que tenha algum dos matizes. Por exemplo numa sala de estar em que a paleta cromática conta com cores quentes, como o vermelho e o laranja ao lado de tons neutros, como off white e branco, a cortina em bege ajuda a completar o charme das cores.

 

  • Janelas

As janelas são elementos indispensáveis na hora de se avaliar qual é a melhor cortina para a casa. A intenção principal das janelas é proporcionar luminosidade e ventilação aos ambientes.
O formato, material e acabamento das mesmas pode influenciar diretamente na forma como a cortina se vai apresentar. A maneira como a janela se abre, se possui hastes que correm ou o seu tamanho precisam de ser levados em consideração.
Algumas janelas que seguem formatos mais robustos e possuem pequenos orifícios precisam receber cortinas confecionadas em materiais leves, como o voile. Assim, conseguem garantir que a luz externa chega dentro da casa. Janelas largas e com poucas divisórias podem receber cortinas em cores claras e em materiais mais grossos, pois assim, conseguem controlar melhor a entrada dos raios solares no local.

 

  • Cortina blackout vale a pena?

Por fim, vale a pena falar das cortinas blackout para a sala de estar. Especialmente desenvolvidas em tecidos que bloqueiam totalmente a iluminação natural, este tipo de cortinas são ótimas para a decoração de salas de TV, onde a ideia é criar experiências interessantes para sessões de cinema.
Outro ponto relevante das cortinas blackout é como elas valorizam a iluminação interior dos espaços, criando efeitos de iluminação especialmente interessantes com candeeiros LED ou pendentes.
Contudo, é fundamental escolher modelos que possam ser totalmente abertos na maior parte do dia, isso garantirá que a sala fique bem arejada e naturalmente iluminada, o que é fundamental para a qualidade de vida dos moradores.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *